27/12/2018 09:00

Escolher a pobreza: 4 aprendizados de uma vida simples

Conheça mais sobre o nosso pilar “simplicidade” e descubra tudo o que você pode aprender com ele

Celebrar a simplicidade. Menos é mais. Viver com o que realmente importa. Todas essas expressões e frases dizem respeito à simplicidade voluntária, pilar da Vida Franciscana. Hoje, viemos explicar para você um pouco mais sobre o nosso estilo de vida simples: por que ele é um pilar, qual a sua importância, como esse jeito de ser e viver se adapta aos dias de hoje e como ele pode nos ensinar muito sobre a vida.

 

 

- Por que é um dos pilares?

Nós, Freis Capuchinhos, acreditamos que não basta viver com os pobres para contribuir com o Projeto de Deus, mas sim, viver como pobres para promover o Reino no seguimento a Jesus Cristo, assim como fez Francisco. Por isso, somos desafiados a demonstrar à sociedade (homens e mulheres) como a pobreza voluntária nos livra da cobiça, raiz de todos os males, e da solicitude ansiosa do dia de amanhã.

 

- Mas como isso se aplica aos dias de hoje?

Sabemos que, hoje, é preciso dinheiro para comer e garantir serviços básicos como água e luz. Além disso, precisamos chegar nas pessoas, e o contato com cada um (seja real ou digital) ajuda a fortalecer o nosso propósito e as nossas missões. Também sabemos que São Francisco é radical quando diz: “que de maneira alguma se deve receber dinheiro, porque é sinal de riqueza, um perigo de avareza e um instrumento de poder e dominação do mundo.

 

 

Dessa maneira, precisamos conciliar e viver com o mínimo possível. Podemos usar dinheiro como meio comum de troca e de convivência social. Entretanto, o seu uso é permitido com a licença de superiores e com a obrigação de prestação de contas, afinal, concordamos com a importância de usar esse instrumento a serviço dos outros e não como forma de nos beneficiarmos. O nosso critério para o uso de todo os bens materiais consiste em: “Viver com o mínimo necessário e não com o máximo permitido”.

 

- E qual a importância deste pilar?

Além de nos deixar mais conectados ao Projeto de Deus, acreditamos que escolher a pobreza é um sinal de contradição a uma realidade na qual o pobre, cada vez mais pobre, é excluído das mínimas garantias de sobrevivência. Assim, também vivemos na prática a virtude da solidariedade que é construtora do Reino da Vida.

 

 

4 APRENDIZADOS DE UMA VIDA SIMPLES

LIBERDADE: Nós podemos dizer que você só descobre a verdadeira liberdade quando não se sente aprisionado a nenhum bem material. Quando você escolhe uma vida de pobreza, com o mínimo para viver, você se sente muito mais livre para fazer o bem e tomar decisões em prol do bem comum.

 

CONEXÃO: Sim, é verdade, nós estamos conectados ao mundo digital como já contamos neste post (afinal estamos aqui falando com você). Mas nós damos um novo significado para as tecnologias, usando elas para o bem comum, a serviço da sociedade e não como forma de ostentação.

Por isso, dizemos que uma vida mais desapegada dos bens materiais significa viver com menos distrações. Assim, sobra mais tempo para conectar-se a Deus, com as pessoas, com a natureza e perceber a beleza da vida. Dizemos que você começa a sentir o valor das experiências, das memórias e da importância de contemplar a vida divina.

 

SUSTENTABILIDADE: Viver apenas com o necessário, isso representa os valores capuchinhos, mas, também, os pilares de uma vida mais sustentável. Inclusive, o minimalismo como estilo de vida é uma tendência mundial que vem conquistando pessoas ao redor de todo o mundo. É um jeito de viver que consiste em reavaliar as nossas prioridades para que possamos nos desfazer de excessos que não agregam a nós e aos outros.

São premissas de um estilo de vida global, contemporâneo, mas que estão totalmente alinhadas aa nosso estilo de vida franciscano, um legado de São Francisco que vem atravessando gerações de freis ao longo dos anos.

 

ALEGRIA: A liberdade, a maior conexão e o entendimento do que realmente importa nos tornam mais felizes e, assim, somos capazes de levar a nossa alegria às pessoas.

Atreva-se

O que te motiva? Atreva-se é uma campanha dos Frades Capuchinhos do Brasil para que os jovens conheçam mais sobre vida franciscana e escolham seguir este caminho. Aqui, a sua motivação é essencial para transformar o mundo em um lugar melhor.

Leia Também
Caminhada ecológica envolve a comunidade de Sapopemba, SP
21/08/2018 06:00

Recentemente, foi realizada na cidade de Sapopemba, Zona Leste de São Paulo, uma caminhada ecológica em defesa da paz e do meio ambiente. Na ocasião, foram convidadas as crianças e adolescentes do CECAPAS (Centro Capuchinho de Ação Socioeducativa), que junto de seus responsáveis, foram guiados pelo Frei José Longarez até o Viveiro Parque Linear de Integração Zilda Arns.

O principal objetivo do percurso era chamar a atenção do poder público para a sujeira e falta de saneamento da região. Além disso, os participantes aproveitaram para pedir pela conscientização dos moradores da proximidade, uma vez que é dever de todos zelar pelo lugar onde vivemos. 

E não foi só isso. No fim, todos puderam participar de uma oficina sobre manejo de horta no Parque Linear e assim, juntos, construir uma horta comunitária. Além do contato com a terra, a mobilização proporcionou um momento coletivo onde todos puderam mudar um pouco mais do meio em que vivem.

E qual é a sua causa? Mudar o seu bairro, estado ou país? Prefere cuidar da natureza ou dos animais? Então lembre-se que aqui você terá espaço para isso. A sua causa é a sua motivação, e a sua motivação transforma. Clique aqui e cadastre-se.

LEIA MAIS
5 fatos sobre a vida franciscana que você nunca imaginou!
21/08/2018 06:00

Antes de começar, precisamos explicar para você que um dos principais pilares que sustentam a vocação franciscana é a fraternidade. Em outras palavras: um título que nos transforma em irmãos de tudo e todos. É por isso que dizemos que nenhum frade vive sozinho ou em solidão. 

Além disso, na nossa fraternidade não existem chefes, senhores, abades ou priores, porque todos têm o mesmo caráter: o de serem simplesmente irmãos menores em missão. Assim, podemos dizer que o nosso estilo de vida não é formado por uma organização “vertical”, mas, sim, muito mais “horizontal” e coletiva. Certo?
Então, agora, vamos conhecer um pouco mais sobre a vida franciscana?


1-    Liberdade também é um pilar.
Existe um longo percurso de estudos e dedicação para quem deseja seguir a vida franciscana. Além disso, aqui, aprendemos a viver com simplicidade e perto da natureza. Mas isso não significa ter uma vida de enclausuramento, longe de tudo e todos. Nossa vida continua sendo a mesma: nos divertimos, temos hobbys, praticamos esportes (de futebol a escalada), trabalhamos (como engenheiros, advogados, filósofos, professores, jornalistas), rimos, ouvimos músicas, dirigimos e andamos tranquilamente pelas ruas quando queremos.


2-    A diversidade faz parte e nos fortalece.
Acreditamos que as nossas diferenças são capazes de tornar a vida em fraternidade mais forte e completa. Enquanto alguns freis estudam engenharia, outros preferem filosofia. Tem aqueles que escolhem biologia e os que preferem manter-se na teologia. Aqui, você é livre para ser você, ter os seus hobbys e o seu ritmo. O que importa é a vida em fraternidade, sem posses e com o coração desprendido, onde juntos somos um. 


3-    Defendemos causas da sociedade
Seja em defesa da natureza, de uma comunidade carente que foi esquecida pelo estado, que sofreu com um desastre natural (como o terremoto do Haiti) ou até uma ação mais simples em prol dos animais. É essa crença que torna a missionalidade um pilar tão importante da vida franciscana. Com pequenas ações, paciência e muita insistência, o nosso trabalho muda o entorno, tornando a vida mais digna, proveitosa e alegre.


4-    Somos simples (e muito felizes)
Simplicidade não é ser miserável. Na verdade, quando falamos sobre simplicidade, falamos sobre viver com o que precisamos (e só). Sem luxos e sem excessos. Ao longo dos anos, aprendemos como o contato com o meio ambiente é importante e faz bem, como ler um bom livro pode confortar a alma e como uma conversa sincera com nós mesmos (ou com o próximo) enriquece o espírito. Além de uma vida mais leve, essas crenças contribuem para um mundo mais sustentável e consciente.


5-    Não estamos off!
Pelo contrário, estamos muito conectados. Com o mundo, com as pessoas e com a comunidade. A diferença é que, uma vez que aprendemos a valorizar uma vida mais simples, descobrimos como o “mundo off” pode ser muito mais colorido, tranquilo e estimulante. Ao mesmo tempo em que viajamos pelo mundo inteiro, fazendo o bem e transformando o mundo sem pensar em fronteiras, também navegamos pela internet para nos mantermos atualizados sobre tudo o que está acontecendo aqui e agora, em todo o lugar.


A vida franciscana é para todos os homens que tem Deus no coração e tem motivação para transformar o mundo. Se você chegou até aqui, é porque você tem tudo isso. Que tal começar aos poucos? Atreva-se a cadastrar-se e ficar por dentro das nossas ações dentro da sua comunidade, para isso, é só clicar aqui.
 

LEIA MAIS
Pensando no futuro: conheça a creche Chapeuzinho Marrom
21/08/2018 09:00

Há mais de 30 anos, a instituição Chapeuzinho Marrom atende crianças de 2 a 4 anos. São filhos de mães trabalhadoras, crianças em risco social e nutricional e portadoras de deficiência. Localizada no Complexo do Turano, entre os bairros da Tijuca e Rio Comprido, a instituição é credenciada pela Secretaria Municipal de Educação e segue as orientações dos Parâmetros de Qualidade para Educação Infantil do Ministério da Educação.

Quem mantém o espaço destinado aos pequenos é o Santuário Basílica de São Sebastião, dos Frades Capuchinhos. O trabalho coordenado permite que as crianças tenham alimentação balanceada e de qualidade, contem com um ambiente limpo, acolhedor e seguro.

Você costuma pensar em crianças em situação de risco? Não sabe por onde começar para ajudá-las? Então cadastre-se neste link que nós ajudamos você com informações sobre a sua comunidade.

LEIA MAIS