29/04/2019 14:00

É possível mudar: 3 histórias reais para você se inspirar!

Quem você realmente é e quais são as suas verdadeiras vontades? Você sente que acaba fazendo muitas coisas para agradar os outros ou se encaixar em um determinado padrão? Se antes de responder você precisou parar para refletir, não se preocupe. Você não está sozinho.

 

Ao longo da vida, criamos armaduras em nós mesmos como forma de nos proteger e nos adaptar ao mundo. Ainda mais em uma época voltada para as redes sociais. As motivações para criarmos essa “casca” podem ser muitas: seja para agradar aqueles que estão ao nosso redor, fazer parte de grupo, ou simplesmente por medo de sermos quem nós somos de verdade. Assim, aos poucos, ficamos presos dentro da nossa própria “armadura” e aprisionamos a nossa verdadeira essência.

Por isso perguntamos lá em cima: quem você é? Quem você gostaria de ser? Por quê? Se pudesse largar tudo: o que você faria? O que te motiva?

 

A única maneira de responder todas essas perguntas com sinceridade é olhando para dentro de si mesmo e escutando o seu verdadeiro eu. E como fazer isso? Não existe uma receita certa, por isso hoje trouxemos algumas histórias inspiradoras de personagens como Pio Giannotti, Durval Sampaio, Frei Luiz Sampaio e outros, para quem sente que está na hora de mudar e transformar a vida e o mundo!

Nós já contamos a história do Frei Luiz aqui em nosso blog, mas decidimos retomá-la, pois é um exemplo de perseverança e motivação. Em 2009 ele começou o curso de Letras, mas problemas com a visão levaram-no a interromper os estudos no início do segundo período letivo. Entretanto, o amor que o frei alimenta pela escrita permitiu que ele vencesse esse obstáculo. Hoje, o frei possui vários livros de poesias lançados, inclusive um dos seus títulos chegou às mãos do Papa Francisco, graças à amiga Marcia Maria de Oliveira.

Curioso para ler a poesia completa? Então acesse este link.

O sobrenome pode ser o mesmo, mas esta história não tem nada a ver com a que contamos acima. A não ser pelo fato de que tanto Durval, quanto Luiz souberam reconhecer a sua paixão e essência, e tiveram a motivação necessária para transformar as suas vidas. Conhecido atualmente como Du E-Holic, o brasileiro deixou para trás o seu emprego estável para fazer o que sempre quis: chapéus.

 

Segundo ele: “não é um plano de carreira, mas um plano de vida”. Para conhecer mais sobre a história de Durval, é só acessar este link.

Até aqui falamos de atitudes de pessoas que mudaram as suas próprias vidas. Mas muitas vezes a nossa vocação é ajudar o outro e o mundo! Os dois australianos citados neste tópico são um ótimo exemplo. Pete e Andrew criaram uma espécie de filtro flutuante que retém o lixo dos oceanos. Podendo ser instalado em marinas ou portos, o aparelho chama-se Seabin e é capaz de recolher a sujeira que está na superfície do mar (como papel, garrafas plásticas e até óleo ou detergente).

 

Quer entender melhor? Então acesse este link.

A Primeira Guerra Mundial não foi motivo para impedir que Pio Giannotti negasse a sua vocação. Apesar de começar a sua formação com 12 anos, aos 19 os seus planos tiveram de ser adiados para prestar serviço militar no exército italiano. Apenas aos 23 anos Giannotti ordenou-se padre. Aqui, é conhecido como Frei Damião e a sua história inspira, pois desde sempre ele soube reconhecer quem realmente era e durante toda a sua vida buscou por isso. Desde que chegou ao Brasil como missionário, o frei lutou incansavelmente por uma vida digna ao povo do nordeste.

 

Em 2002, cinco anos após a sua morte, o Vaticano deu início ao seu processo de canonização. O que nos mostra que qualquer um de nós pode de fato fazer a diferença para essa e futuras gerações. Tudo o que precisamos é abraçar a nossa verdadeira essência e sermos profundamente humanos.

Isso, você não leu errado. Afinal, qualquer pessoa é capaz de assumir uma atitude inspiradora para mudar a sua vida e o seu entorno. Inclusive você. Foi o que o Frei Luiz Sampaio, Durval Sampaio, Pete, Andrew e o Frei Damião fizeram. Foi o que muitos outros personagens que não citamos aqui fizeram.

 

Tudo o que você precisa é saber quem você é e ouvir a sua voz interior. Essa voz pode estar te chamando para uma viagem incrível, para transformar o mundo ou para um novo jeito de ser e viver mais próximo de Deus, da natureza e sem excessos. A histó

 

Se essa voz for o seu chamado para a vida franciscana, nós estamos aqui! Mas para fazer essa descoberta, você precisa se atrever a ouvir. Atreva-se!

 

Atreva-se

O que te motiva? Atreva-se é uma campanha dos Frades Capuchinhos do Brasil para que os jovens conheçam mais sobre vida franciscana e escolham seguir este caminho. Aqui, a sua motivação é essencial para transformar o mundo em um lugar melhor.

Leia Também
Caminhada ecológica envolve a comunidade de Sapopemba, SP
21/08/2018 06:00

Recentemente, foi realizada na cidade de Sapopemba, Zona Leste de São Paulo, uma caminhada ecológica em defesa da paz e do meio ambiente. Na ocasião, foram convidadas as crianças e adolescentes do CECAPAS (Centro Capuchinho de Ação Socioeducativa), que junto de seus responsáveis, foram guiados pelo Frei José Longarez até o Viveiro Parque Linear de Integração Zilda Arns.

O principal objetivo do percurso era chamar a atenção do poder público para a sujeira e falta de saneamento da região. Além disso, os participantes aproveitaram para pedir pela conscientização dos moradores da proximidade, uma vez que é dever de todos zelar pelo lugar onde vivemos. 

E não foi só isso. No fim, todos puderam participar de uma oficina sobre manejo de horta no Parque Linear e assim, juntos, construir uma horta comunitária. Além do contato com a terra, a mobilização proporcionou um momento coletivo onde todos puderam mudar um pouco mais do meio em que vivem.

E qual é a sua causa? Mudar o seu bairro, estado ou país? Prefere cuidar da natureza ou dos animais? Então lembre-se que aqui você terá espaço para isso. A sua causa é a sua motivação, e a sua motivação transforma. Clique aqui e cadastre-se.

LEIA MAIS
5 fatos sobre a vida franciscana que você nunca imaginou!
21/08/2018 06:00

Antes de começar, precisamos explicar para você que um dos principais pilares que sustentam a vocação franciscana é a fraternidade. Em outras palavras: um título que nos transforma em irmãos de tudo e todos. É por isso que dizemos que nenhum frade vive sozinho ou em solidão. 

Além disso, na nossa fraternidade não existem chefes, senhores, abades ou priores, porque todos têm o mesmo caráter: o de serem simplesmente irmãos menores em missão. Assim, podemos dizer que o nosso estilo de vida não é formado por uma organização “vertical”, mas, sim, muito mais “horizontal” e coletiva. Certo?
Então, agora, vamos conhecer um pouco mais sobre a vida franciscana?


1-    Liberdade também é um pilar.
Existe um longo percurso de estudos e dedicação para quem deseja seguir a vida franciscana. Além disso, aqui, aprendemos a viver com simplicidade e perto da natureza. Mas isso não significa ter uma vida de enclausuramento, longe de tudo e todos. Nossa vida continua sendo a mesma: nos divertimos, temos hobbys, praticamos esportes (de futebol a escalada), trabalhamos (como engenheiros, advogados, filósofos, professores, jornalistas), rimos, ouvimos músicas, dirigimos e andamos tranquilamente pelas ruas quando queremos.


2-    A diversidade faz parte e nos fortalece.
Acreditamos que as nossas diferenças são capazes de tornar a vida em fraternidade mais forte e completa. Enquanto alguns freis estudam engenharia, outros preferem filosofia. Tem aqueles que escolhem biologia e os que preferem manter-se na teologia. Aqui, você é livre para ser você, ter os seus hobbys e o seu ritmo. O que importa é a vida em fraternidade, sem posses e com o coração desprendido, onde juntos somos um. 


3-    Defendemos causas da sociedade
Seja em defesa da natureza, de uma comunidade carente que foi esquecida pelo estado, que sofreu com um desastre natural (como o terremoto do Haiti) ou até uma ação mais simples em prol dos animais. É essa crença que torna a missionalidade um pilar tão importante da vida franciscana. Com pequenas ações, paciência e muita insistência, o nosso trabalho muda o entorno, tornando a vida mais digna, proveitosa e alegre.


4-    Somos simples (e muito felizes)
Simplicidade não é ser miserável. Na verdade, quando falamos sobre simplicidade, falamos sobre viver com o que precisamos (e só). Sem luxos e sem excessos. Ao longo dos anos, aprendemos como o contato com o meio ambiente é importante e faz bem, como ler um bom livro pode confortar a alma e como uma conversa sincera com nós mesmos (ou com o próximo) enriquece o espírito. Além de uma vida mais leve, essas crenças contribuem para um mundo mais sustentável e consciente.


5-    Não estamos off!
Pelo contrário, estamos muito conectados. Com o mundo, com as pessoas e com a comunidade. A diferença é que, uma vez que aprendemos a valorizar uma vida mais simples, descobrimos como o “mundo off” pode ser muito mais colorido, tranquilo e estimulante. Ao mesmo tempo em que viajamos pelo mundo inteiro, fazendo o bem e transformando o mundo sem pensar em fronteiras, também navegamos pela internet para nos mantermos atualizados sobre tudo o que está acontecendo aqui e agora, em todo o lugar.


A vida franciscana é para todos os homens que tem Deus no coração e tem motivação para transformar o mundo. Se você chegou até aqui, é porque você tem tudo isso. Que tal começar aos poucos? Atreva-se a cadastrar-se e ficar por dentro das nossas ações dentro da sua comunidade, para isso, é só clicar aqui.
 

LEIA MAIS
Pensando no futuro: conheça a creche Chapeuzinho Marrom
21/08/2018 09:00

Há mais de 30 anos, a instituição Chapeuzinho Marrom atende crianças de 2 a 4 anos. São filhos de mães trabalhadoras, crianças em risco social e nutricional e portadoras de deficiência. Localizada no Complexo do Turano, entre os bairros da Tijuca e Rio Comprido, a instituição é credenciada pela Secretaria Municipal de Educação e segue as orientações dos Parâmetros de Qualidade para Educação Infantil do Ministério da Educação.

Quem mantém o espaço destinado aos pequenos é o Santuário Basílica de São Sebastião, dos Frades Capuchinhos. O trabalho coordenado permite que as crianças tenham alimentação balanceada e de qualidade, contem com um ambiente limpo, acolhedor e seguro.

Você costuma pensar em crianças em situação de risco? Não sabe por onde começar para ajudá-las? Então cadastre-se neste link que nós ajudamos você com informações sobre a sua comunidade.

LEIA MAIS